Guia do Freela

Como ser freelancer com pouca experiência

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Quem quer começar a ser freelancer, mas tem pouca experiência, pode achar um verdadeiro desafio encontrar os primeiros clientes.

Mas saiba que tem solução! 🤗 Com algumas dicas práticas, você pode conseguir fechar pequenos projetos, para criar o seu portfólio!

Esse é segundo post da série especial 5 passos para virar freela. No post anterior, falamos sobre como escolher um nicho freelancer.

Assim, se você já escolheu um nicho e sabe quais serviços vai oferecer, é hora de começar a pegar projetos e ganhar experiência – colocar a mão na massa. 💪

Como sempre, esse mesmo conteúdo está disponível em vídeo. Se preferir esse formato, é só dar o play abaixo:

Como ser freelancer com pouca experiência

Para muita gente, o trabalho freelancer vem como uma transição de carreira.

Nesse caso, há quem tenha decidido ser freela por conta própria, enquanto outros acabam sendo levados para esse universo por situações da vida.

Muitas vezes, essas pessoas têm conhecimento prévio em uma profissão ou estão estudando para atuar em uma área.

Porém, pela falta de experiência e de um portfólio, quando tentam encontrar projetos freela e ganhar clientes, a tarefa não é tão fácil. 😫

Se esse for seu caso, deixa eu te contar que existem algumas formas de pegar projetos freelancer com pouca experiência. 😉

Então, já se prepara para anotar essas sugestões, porque tem dica para todo tipo de situação!

Dica #1: Período de teste

A primeira dica para começar a ter clientes freelancer com pouca experiência, é oferecer um período de teste do seu serviço.

Por exemplo, se você está trabalhando no desenvolvimento de artes para redes sociais, pode se dispor a criar conteúdo gratuitamente por um período.

Esse período pode ser de duas semanas ou um mês, ou um número específico de artes, e serve para que o cliente conheça o seu trabalho.

Quando você apresentar seu serviço e enviar o orçamento, pode falar qual vai ser o valor cobrado pelo projeto, avisando que os primeiros itens não terão custo.

Eu já fiz isso em alguns casos e os clientes acabavam gostando do meu serviço, e me mandavam mais demandas.

Então, na prática, essa técnica pode funcionar.

Mas, é importante que você tenha uma certa estrutura para fazer isso. E com estrutura eu quero dizer tempo, estabilidade financeira e disponibilidade.

Porque se cliente resolver não fechar negócio, você vai ter perdido tempo e dinheiro.

Assim, cabe a você avaliar quando essa técnica pode converter em venda.

E não há uma receita para descobrir qual cliente vale oferecer período de teste: é muito na intuição, no “feeling”, mesmo.

Dica #2: Cobrar menos do que a média

Outra forma para começar a ter clientes freela, quando você não tem muita experiência para apresentar, é cobrar menos que a média. 💸

Muita gente acredita que esse tipo de atitude prejudica uma categoria de profissionais – e faz sentido.

Mas, por outro lado, essa é uma forma de quem está começando entrar no mercado.

Existem clientes que fecham projetos baseados em preço, assim como tem clientes que escolhem um freela pelo seu serviço.

Esses clientes baseados em preço podem buscar economia , ou podem não ter tanto poder aquisitivo disponível.

Por isso, quando você cobra menos, você consegue atingir esses dois tipos de público.

Esses clientes também são ideais para que está aprendendo sobre um serviço.

E eu até recomendo que você justifique que é isso que faz o preço ser mais barato, porque você está aprendendo.

E nada impede que, no futuro, você reajuste os valores.

Cobrando menos você também analisar se o valor cobrado paga sua hora trabalhada.

Mas não se preocupe com qual valor cobrar agora. A gente vai voltar a falar sobre precificação no próximo post da série!

Dica #3: Apoiando um amigo ou familiar

Se você tem um amigo ou alguém da família com um negócio, que precise do serviço que você oferece, pode considerar trabalhar de graça para ganhar experiência.

Isso de trabalhar de graça não é recomendável de forma geral, para todos os clientes.

Por isso, eu penso que essa dica é interessante para amizades e para a família, porque é como se você estivesse dando um apoio, sem foco no lucro.

Outra vantagem é que essa oportunidade pode ser uma maneira de testar suas habilidades e ver o que funciona ou não em um projeto.

Por exemplo, se você quer trabalhar com marketing digital, pode usar a plataforma dessa pessoa para colocar em prática suas ideias!

Dica #4: Freela como renda extra

Quando falamos de freelancer com pouca experiência, é comum encontrar pessoas com trabalho fixo que estão pensando em fazer uma transição de carreira.

Isso aconteceu comigo (contei um pouco nesse vídeo), e fazer freela como renda extra é uma ótima forma de começar.

E daí, vale buscar projetos em sites, grupos, redes sociais, enfim. Existem diferentes maneiras de prsquisar trabalho.

Esse é o melhor cenário para começar a trabalhar como freela, porque você vai tirar o peso de conseguir clientes rapidamente por precisar do dinheiro.

Além disso, esses trabalhos que você desenvolve vão te ajudar a ter um portfólio para apresentar para os próximos clientes.

Dica #5: Redes sociais

E você já pensou em usar as redes sociais para contatar possíveis clientes?

Essa é mais uma forma legal de começar como freelancer com pouca experiência.

Os grupos do Facebook, que eu comento como uma forma de conseguir o primeiro contrato freela nesse vídeo, são boas oportunidades de encontrar clientes.

Porém, você pode usar as outras redes para encontrar pessoas que precisam do serviço que você oferece.

Quer um exemplo?

Se você trabalha com redação, pode entrar na página do Instagram de algum especialista em artigos e ver os comentários dos posts.

Muitas vezes, você vai encontrar comentários de outros profissionais, que acompanham essa pessoa por seu conhecimento.

Mas você também pode encontrar alguns potenciais clientes, que comentam que precisam de um profissional e não encontram.

Aí, é o momento de mandar uma DM e passar uma proposta! 🙋‍♀️

E também vale ter a boa e velha cara de pau.

Tem muita empresa, criador de conteúdo, empreendedor, que precisa do apoio de diferentes tipos de serviço.

Faz um textinho massa, prepara uma apresentação e manda um direct para a pessoa. Vai que….

Dica #6: Plataformas freelancer

E claro, tem como começar usando as plataformas de serviços freela.

Eu vivo falando desses sites porque foi assim que eu comecei e essas plataformas foram muito úteis.

Existem vários sites disponíveis na internet, focados em unir clientes a freelancers.

Eu prometo que vou criar um post aqui no Guia do Freela só sobre elas, assim que der (perdoa, a rotina de freela tá corrida por aqui!)

E antes de encerrar…

Como você acabou de ver, existem algumas formas de começar a pegar projeto freela, mesmo com pouca experiência.

Mas antes de encerrar esse post, queria só te lembrar de ter calma, paciência e persistência.

Eu sei bem que o começo como freelancer pode ser difícil, com muitos “nãos” diariamente. Mas é só parte do processo.

Aos poucos, você começa a construir seu nome, a criar um portfólio, a ser indicado para outros clientes, e daí as coisas ficam mais fáceis.

E é isso! Espero que você tenha curtido esse segundo post da série especial sobre os primeiros passos para virar freela.

Você pode me contar o que você achou ou compartilhar uma dica nos comentários!

Aproveita para me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /bmarzarotto

Linkedin: /brunamarzarotto

Obrigada e até a próxima!

Leia também: 3 plataformas online para trabalhar como freelancer

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Picture of Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

5 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *