Guia do Freela

Não consigo freelas, e agora?

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Entrar para o mundo freelancer exige uma boa dose de preparação. Mas se depois de fazer tudo conforme as orientações, do portfólio à carta de apresentação, você diz “não consigo freelas”, é preciso reavaliar o cenário para encontrar algumas soluções.

A verdade é que conseguir o primeiro freela não é uma tarefa simples. Muitas pessoas levam semanas para ter uma oportunidade, especialmente dentro dos sites freelancer.

Mas se o tempo está passando e você continua sem resultados, é hora de acabar com o discurso de “eu não consigo freelas” e mudar para “o que eu posso melhorar?”

A seguir, elencamos 5 dicas práticas do que fazer para conseguir freelas, mesmo se você está começando e não tem experiência!

Não consigo freelas: 5 dicas do que fazer

Antes das dicas, que tal entender quando você pode declarar “não consigo freelas” para tomar uma ação?

Normalmente, após se cadastrar em um site freela, você leva algum tempo para conseguir uma resposta positiva dos clientes das plataformas.

Afinal, é preciso lembrar que existem milhares de outros profissionais freelancers que já possuem um histórico dentro do site em questão. É comum que boa parte dos clientes prefira fazer um projeto com quem já tem feedbacks.

Assim, uma boa métrica para você ter em mente é: se você acessar o site freela todo dia e se candidatar a vagas também diariamente, e não tiver resultados em 2 meses, significa que há algo errado com o seu material.

Criança em dúvida

E é aí que entram as 5 dicas abaixo sobre o que fazer para trocar o disco do “não consigo freelas”. Confira!

1. Reveja sua carta de apresentação

Começamos pela sua carta de apresentação porque, em um site freela, essa é a primeira impressão que um cliente terá sobre você! É o que o anunciante vê logo de início, antes mesmo de checar o seu perfil.

A carta de apresentação é aquela mensagem que enviamos quando nos cadastramos em uma vaga de site freela. Nela, você fala um pouco sobre o que você faz, qual sua experiência e como pode ajudar o cliente.

Assim, pode ser que sua carta de apresentação não esteja atrativa o suficiente. Entretanto, existem algumas dicas de melhoria que os próprios sites freelas dão. Um exemplo está nesse conteúdo do Upwork.

Nesse sentido, uma das recomendações de qualquer site freela é personalizar a mensagem. É claro que você pode ter uma estrutura base, alterando algumas informações particulares de cada projeto. Mas o importante é que o cliente se conecte com a sugestão que você está dando.

Uma forma de fazer isso é destacar as habilidades exigidas no projeto que você tem. Ou seja, repita as necessidades do empregador para a função e como você preenche esses critérios.

Além disso, outra dica para melhorar sua carta de apresentação é ser mais direto, especialmente nos primeiros parágrafos.

Você não precisa contar sua história de vida. Fale das habilidades que você possui que o tornam a pessoa certa para o projeto, e onde o cliente pode encontrar mais informações sobre sua experiência de trabalho.

Por fim, consuma o conteúdo de orientação dos próprios sites freelas. Upwork, Workana, 99Freelas e outros sites disponibilizam artigos completos sobre como otimizar sua carta.

2. Revise seu portfólio

Uma segunda maneira de parar de falar “eu não consigo freela” é analisando se o seu portfólio está atrativo o suficiente.

Pode ser que seu material esteja desatualizado, mal organizado, seja difícil de acessar ou não dê uma dimensão real do seu talento.

Mas como melhorar?

Para começar, analise se o seu portfólio corresponde com a área que você quer trabalhar. De nada adianta se candidatar à vagas de design de logo, se o seu portfólio não tem nenhuma logo desenvolvida.

Aproveite e observe como está a organização do seu portfólio. Ele está claro para o cliente navegar? É acessível do ponto de vista da legibilidade?

Se você fez um site para ser seu portfólio, faça uma análise de desempenho. Muitas vezes, uma página online com baixa otimização leva mais de 3 segundos para ser carregada – tempo suficiente para que o cliente desista de conhecer seu trabalho.

E, além de tudo isso, se esforce para criar material novo para atualizar seu portfólio. Mesmo que você não tenha nenhum cliente, faça projetos para estudar técnicas e utilize os resultados para compor seu mostruário de trabalho.

Outra dica é ver esse vídeo sobre erros de portfólio para você evitar:

3. Ajuste seu perfil

Depois de revisar sua carta de apresentação e seu portfólio, que são as primeiras coisas que um cliente vê sobre um freelancer, é hora de passar para o seu perfil.

Será que a última vez que você analisou seu perfil foi no momento que estava construindo o mesmo? E será que nessa ocasião você estava com pressa? Se sim, é possível que seu perfil tenha muito a melhorar!

A boa notícia é que corrigir esse problema é bem simples.

Uma dica prática é acessar a área de freelancers de um site, filtrar pela área que você atua, e acessar vários perfis. Nesse ponto, você vai analisar o que cada um faz para pegar insights para replicar na sua conta.

Além disso, existem orientações dos próprios sites freelas, como neste artigo do Workana. Algumas das recomendações para melhorar o perfil são:

  • Tenha uma foto de perfil de qualidade e profissional
  • Cite o que há de mais importante na sua trajetória profissional
  • Selecione habilidades e especialidades que são o que você faz de melhor
  • Vincule um link para seu portfólio
  • Cuidado com a gramática!

4. Analisar com calma as vagas que você se candidata

Um outro fator determinante que pode estar influenciando na frase “não consigo freelas” é o fato de você não filtrar as vagas que se candidata.

Afinal, nem toda vaga que aparece na área que você trabalha deve ser considerada. E quando você gasta seu tempo em anúncios em que não preenche totalmente os requisitos, tem como resultado a frustração.

Mas como garantir que você está se candidatando na vaga certa?

Para começar, leia o anúncio com atenção e veja se você consegue realizar todas as tarefas propostas. Esse passo é importante porque, a maioria dos clientes, não quer esperar que você aprenda algo para atendê-lo plenamente.

Ainda no anúncio da vaga, veja se existem “tags” ou marcações que indicam requisitos mínimos.

Por exemplo, em sites como o Upwork, você pode encontrar a exigência de o candidato residir em determinado país ou ser fluente em algum idioma. Se há uma exigência que você não cumpre, suas chances de sucesso são bem menores.

Também analise quantas pessoas já se candidataram em uma vaga. Um anúncio com mais de 20 pessoas inscritas geralmente tem muita concorrência. Na prática, o cliente vai ver somente os primeiros e escolher entre eles. O ideal é tentar vagas que tem, no máximo, 15 candidatos ativos.

Para pegar vagas com baixa concorrência, você vai precisar acessar um site freela várias vezes ao dia. Afinal, novos anúncios chegam a todo momento, e sai na frente quem consegue se cadastrar com agilidade!

5. Mais de uma rede

Por fim, a última dica para acabar com a frase “não consigo freelas” é: utilize mais de uma rede para buscar oportunidades.

É claro que os sites freelas são bem úteis e existem dezenas deles na internet. Por isso mesmo, não crie uma conta somente em um: faça seu cadastro e teste plataformas variadas.

Além disso, você pode buscar por projetos em outros ambientes. As redes sociais, por exemplo, podem ser ótimos espaços para apresentar seu trabalho e encontrar potenciais clientes. Isso inclui Instagram, TikTok, LinkedIn e afins.

Você também pode considerar criar contas em sites de portfólio da sua área. O Behance é ótimo para funções criativas, mas existem outras plataformas direcionadas para segmentos específicos que você pode pesquisar.

Seja qual for a rede, dedique um tempo semanalmente para cuidar da sua conta e fazer com que ela reflita suas habilidades.

Dica extra: cuide do seu psicológico

De fato, passar por momentos de não conseguir freelas não é algo simples. É comum que nossa autoestima fique abalada e, se você depende dos primeiros projetos para se manter financeiramente, a situação pode ser desesperadora.

É importante que você cuide do seu psicológico para que não tenha picos de ansiedade, estresse e até depressão.

Entender que é normal demorar a ter o primeiro freela, estar aberto para os sentimentos e até meditar, são ótimas maneiras de lidar com a ansiedade de conseguir um projeto, algo melhor explicado neste vídeo:

Lembre-se que quando você diz “não consigo freelas”, pode estar diante de uma necessidade de melhorar a forma como você se apresenta, seus projetos e até onde busca oportunidades.

Por isso, nesse cenário, reserve um tempo e cuide de todos os fatores citados anteriormente. Além disso, torne essa ação periódica, para que seu material esteja sempre bem atualizado e atrativo para os clientes.

Assim, conseguir freelas não será tão complexo!

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /guiadofreela_

Obrigada e até a próxima!

Leia também: 5 dicas para montar um portfólio e ter mais oportunidades de trabalho

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *