Guia do Freela

Como fazer um bom portfólio

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Quem quer trabalhar como freelancer deve saber que precisa se anunciar o tempo todo e parte dessa divulgação é feita com um bom portfólio.

Afinal, o que você já desenvolveu é a melhor e mais forte propaganda de seus serviços.

Mas como construir um portfólio? Como escolher o que entra nele? Onde disponibilizar esses trabalhos? 🤔

No último post da série 5 passos para virar freela, a gente vai falar sobre portfólio, com tudo o que você precisa saber para montar o seu! 🤗

Nesse sentido, eu vou te contar por que eu, mesmo trabalhando com design, não tenho um perfil no Behance até hoje.

Antes de mais nada, se você quiser acompanhar esse conteúdo em vídeo, é só clicar aqui:

Criando um bom portfólio

Quem trabalha como freelancer normalmente tem um portfólio, que é uma página online onde é possível mostrar alguns exemplos de trabalho.

O portfólio é como se fosse a versão de currículo do freelancer e é por meio dele que você vai mostrar suas habilidades, formação, experiência.

Acima de tudo: um bom portfólio pode te ajudar a atrair mais clientes.

Nesse sentido, um cliente não vai querer trabalhar com um freelancer sem verificar a qualidade do que a pessoa faz.

E para essa verificação, é preciso observar os trabalhos feitos antes.

Mas para deixar tudo mais simples, vamos separar esse post em tópicos, que são as principais dúvidas dos freelancers quando se trata de portfólio.

Como construir um bom portfólio?

O portfólio é composto de alguns exemplos de projetos que o freelancer desenvolve. Por isso, quanto mais experiência você tiver, mais completa vai ser a sua página.

Mas, quem não tem experiência também pode se beneficiar de um bom portfólio.

Igualmente, essa é uma ótima forma de compensar a falta de vivência em uma área quando você estiver negociando com um cliente.

Se esse for seu caso e você não tiver muita experiência, pense em fazer projetos para treinar habilidades, que depois vão entrar na sua página como exemplos de trabalho.

Ao mesmo tempo, se você está estudando algo específico, pode colocar no seu portfólio os projetos que faz como estudante.

Sempre tem coisas interessantes que podem servir para sua “vitrine”. Eu fiz muito isso na minha época de faculdade. 🤓

E você também pode usar as dicas do post 2 da nossa série, para começar sem experiência, fazer os primeiros projetos, enquanto constrói um bom portfólio a partir dessas entregas.

O que colocar em um portfólio?

Quando você está começando, a maioria dos projetos vão entrar no seu portfólio.

Mas, depois de um tempo, você vai precisar fazer uma seleção de trabalhos, que são aqueles que melhor demonstram suas habilidades, formação e experiência.

Ou seja, sua página não precisa ter um bilhão de projetos concluídos. Isso pode até cansar o cliente, que vai pensar que é muito material e pode desistir de conhecer seu trabalho.

Além de selecionar alguns projetos específicos, você também pode incluir trechos de trabalhos que são muito extensos.

Muitas vezes, parte de um trabalho já é capaz de mostrar suas habilidades para os potenciais clientes.

Dica importante #1:

Tenha certeza de que você pode usar um projeto para divulgação própria.

Existem empresas que trabalham com projetos confidenciais, que não querem divulgar um produto antes da hora para não ter problemas com a concorrência.

Esse tipo de projeto confidencial é bastante comum para os designers. Se essa for sua profissão, lembre-se de conferir com o cliente a autorização para o uso antes de colocar uma imagem no seu portfólio.

E se você não conseguir o direito de usar o projeto em benefício próprio, tente apresentar partes incompletas do projeto na sua página.

Além disso, você também pode solicitar um prazo de encerramento da confidencialidade para o cliente, para publicar quando o tempo passar.

Dica importante #2:

Reserve um tempinho para dar atenção para a parte escrita do seu portfólio.

Em alguns projetos, é interessante compartilhar como foi o processo de criação, quais as inspirações ou qualquer outro dado que você julgar importante. 

E isso vale para a parte que você descreve as suas características, no seu perfil.

Dessa forma, o cliente vai ter uma visão geral de seu trabalho e ter mais segurança para te contratar.

Só não vai mentir coisa que você não é ou não sabe, tá? 😉

Onde disponibilizar o portfólio?

A forma mais usada pelos freelancers para expor os trabalhos é por meio de páginas na internet. E existem várias opções diferentes para você escolher.

Sites de trabalho freelancer

A primeira possibilidade é um perfil em sites para freelancers.

Na maioria das plataformas, quando você se cadastra, cria uma página de perfil, que pode ser usada como portfólio.

Você deve preencher todas as caixas ou formulários que o site possui, e colocar alguns exemplos. Depois, é só usar o link da página para enviar para os clientes.

Fazer seu próprio site

Se você tem conhecimento em programação ou web design, ou se está disposto a pagar alguém pela criação, pode fazer um site próprio, para apresentar exemplos de seu trabalho e seus dados de contato. 

Lembre-se de incluir no seu site uma página de sobre, serviços, portfólio, contato e depoimentos dos clientes, que podem te ajudar na hora de convencer um potencial cliente.

Tem freelancer que apresenta os preços dos serviços no site. Porém, isso é algo opcional. Você deve analisar se esse modelo combina com o tipo de serviço que você vai vender.

Redes sociais

Suas redes sociais também podem ser o seu portfólio.

Quase todo mundo está nas redes sociais, e por isso mesmo, ter suas próprias contas e usá-las para interagir com um setor é um bom método de divulgar sua marca. 

Você pode mostrar exemplos de trabalho no Instagram, compartilhar projetos no LinkedIn, manter uma página de negócios no Facebook, enfim.

E além dos projetos, você pode mostrar um pouco dos bastidores do seu trabalho nas redes. É uma forma de se aproximar do público e compartilhar seu processo criativo.

Sites de portfólio

Por último, você pode usar sites de portfólio, como o Behance.

Nesse site, cada freelancer tem direito a criar uma conta, que vai ganhar um link com seu nome, o que dá um aspecto profissional ao enviar o endereço eletrônico para um cliente.

A maioria dos designers usam o Behance no seu portfólio. Eu não uso. E já me perguntaram nas caixinhas de perguntas do Instagram por que não.

Mas não tem nada de polêmico na minha decisão de não ter Behance: na verdade, eu nunca senti a necessidade de ter uma página no site.

Eu preferi fazer um site próprio e focar meus esforços em criar um perfil legal nas plataformas de freela.

E você também não precisa criar um Behance se não quiser. Veja o que faz sentido para seu projeto freelancer e escolha a plataforma ideal.

O encerramento da série e um presente

E com esse post, fechamos a série 5 passos para virar freelancer.

Enquanto eu trabalhava nesse conteúdo, eu percebi que ele poderia funcionar em outro formato – como um checklist!

Então, eu criei um checklist com o passo a passo para ser freelancer.

Checklist para virar freelance.

Você pode ler cada etapa, tomar suas decisões e riscar item por item até chegar no projeto do seu negócio freelance.

E aí, se você tiver uma dúvida maior, é só conferir os posts ou vídeos novamente.

O checklist tá disponível para download gratuitamente aqui. Clique e baixe já o seu!

Além disso, hoje também estou lançando um projeto novo: o e-book Como Começar um Negócio Freelancer.

Saiba como montar um bom portfólio no e-book Como Começar um Negócio Freelance

No e-book, eu reuni várias dicas para quem quer começar, coloquei um pouco das minhas experiências, e montei um guia completo sobre trabalho freela.

Tem as coisas básicas que você precisa saber sobre freelancer, indicações de várias plataformas freela para conhecer e até dicas de como ampliar sua empresa no futuro.

Clique aqui e conheça todas as vantagens desse e-book. Na semana de lançamento, ele está com um preço especial!

Quem comprar o e-book tem como bônus uma lista de 30 sites para trabalhar como freelancer.

Eu espero que você tenha gostado de acompanhar essa sequência de posts e que o conteúdo seja útil na sua jornada freelancer!

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /bmarzarotto

Linkedin: /brunamarzarotto

Obrigada e até a próxima!

Leia também: Como precificar seu trabalho

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Picture of Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

4 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *