Guia do Freela

Quanto cobrar como freelancer? 5 métodos de precificação!

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Uma das maiores dúvidas entre aqueles que estão começando a trabalhar por conta própria é: quanto cobrar como freelancer? Afinal, precisamos concordar que precificar seu serviço é bastante complexo.

Em muitos casos, é somente quando um cliente solicita seu preço que um freelancer começa a pensar no assunto. Isso aconteceu com você? Saiba que existem alguns métodos de precificação para você conhecer e aplicar.

Neste guia de precificação para freelas, você vai entender quanto cobrar no freelancer a partir de diferentes ferramentas. Assim, fica mais fácil enviar um orçamento para seu potencial cliente!

1. Pesquisa da concorrência

Para começar, o primeiro método é analisar a sua concorrência para entender o preço que outros profissionais estão praticando.

Nesse sentido, você pode contar com diferentes ferramentas e plataformas para entender quanto cobrar como freelancer.

Uma primeira maneira de pesquisar a concorrência é por meio dos sites freelas. Todo site freelancer permite que você localize os profissionais e observe seus perfis. Geralmente, no perfil de cada um está o seu preço por hora ou preço por serviço.

Ou seja, somente em uma rápida “investigação” pelo site freela, selecionando profissionais da mesma área que você, é possível entender o preço praticado para cobrar o mesmo (ou um pouco mais/menos).

Mulher sentada usando um notebook. O notebook está em seu colo e ela olha para a tela. As duas mãos estão sobre o teclado.

A segunda maneira de pesquisar a concorrência é encontrar sites de freelas na internet (ou mesmo de empresas do ramo) e, com um e-mail seu secundário, solicitar um orçamento.

Por exemplo, há algum tempo, precisei pesquisar preços de sites. Usando meu perfil aqui do Guia do Freela, fiz contato com várias empresas do ramo e obtive diferentes respostas.

Mas nesse formato de envio de e-mail, esteja disposto a passar por reuniões e responder as solicitações de mensagem do profissional ou da empresa posteriormente. São ações normais, especialmente quando a pessoa quer vender – e ela não sabe que você está só “investigando”!

2. Tabela de preços do segmento

Como uma segunda opção para saber quanto cobrar freelancer, temos a visualização da tabela de preços do segmento que você atua.

Funciona assim: algumas áreas profissionais contam com conselhos ou associações. Essas instituições costumam criar, anualmente, um guia de preços sugeridos que você pode aplicar.

Para descobrir os valores da sua área, basta procurar no Google: “Tabela de preços” + a sua área profissional. Por exemplo: “tabela de preços design” ou “tabela de preços programação”.

Caso você faça parte de um segmento com conselho, é importante notar se há alguma regra para a aplicação desses valores.

Um exemplo é a área de Fisioterapia. O Conselho do ramo disponibiliza uma tabela de referência e permite que o profissional coloque até determinada porcentagem a menos ou a mais em seu preço. Os fisioterapeutas precisam seguir essa métrica para estarem dentro das normas de atuação.

Ou seja, entenda se a sua cobrança tem algum tipo de regra ou obrigatoriedade (como a fisioterapia), ou se você tem apenas uma tabela referencial para personalizar o valor de acordo com suas necessidades (como design, programação e afins).

3. Quanto custa minha hora?

Depois de pesquisar a concorrência e se basear por tabela de preço, a terceira maneira de saber quanto cobrar freelancer é com um site que já apareceu por aqui: Quanto Custa Minha Hora.

Tela do site Quanto Custa Minha Hora

Esse é um site gratuito, em que por meio de um questionário, te ajuda a definir qual é o valor da sua hora trabalhada. As perguntas começam com o quanto você quer ganhar, até a sua rotina, para um resultado detalhado.

Após fazer o questionário, o site vai apontar quanto custa a sua hora, no cenário que você apontou. Com esse número em mãos, tudo o que você precisa fazer é analisar quanto tempo leva para realizar um projeto e multiplicar pelo valor da hora.

Um exemplo seria: o valor da sua hora é R$80. Um projeto gráfico que você vai desenvolver tem previsão de 5 horas de trabalho. Então, você vai multiplicar R$80 x 5, tendo como resultado R$400. Bem simples, né?

O ponto importante aqui é ter uma noção muito realista de quanto tempo você vai demorar para desenvolver um projeto. Caso contrário, você poderá acabar cobrando menos do que deveria.

E uma dica: sempre coloque 2 horas a mais do que o previsto. Afinal, nunca se sabe quantos ajustes você precisará fazer no seu serviço.

4. Cálculo de custo de vida

Ainda está em dúvida de quanto cobrar freelancer? Calma que ainda tem mais um método para você testar! Estamos falando do cálculo de custo de vida.

Basicamente, você vai calcular e considerar todos os seus gastos e o quanto você precisa para viver. A partir disso, poderá entender o valor da sua hora.

Para esse cálculo, você vai precisar somar todos os seus custos fixos: aluguel, conta de luz, conta de água, plano de saúde, internet, telefonia, academia, enfim.

Além disso, faça uma média e adicione na conta alguns de seus custos variáveis: cartão de crédito, alimentação, lazer, vestuário, dentista, exames, etc. Adicione ainda um valor extra, para gastos não previstos, e um pouco para montar uma reserva de emergência.

Digamos que tudo isso tenha somado R$5.000 – esse é o seu custo de vida.

Com esse número, você pode seguir por dois caminhos. O primeiro é dividir o montante por projetos, ou seja, você precisa fazer 5 projetos de R$1.000 por mês.

O segundo caminho é dividir esse valor pela quantidade de horas que você pretende trabalhar por mês. Por exemplo, R$5.000 dividido por 200 horas mensais, tem como resultado R$25 por hora. Então, quando chegar um projeto, você precisará prever a quantidade de horas e multiplicar por esse valor.

5. O que você considera justo

Por último, mas não menos importante, temos a opção: cobrar como freelancer o quanto você considera justo pelo seu trabalho.

Sim, esse ponto é um pouco mais complexo. Afinal, o que é justo para você? E a verdade é que não há uma resposta correta.

Lembre-se de que há mercado para todos os tipos de bolsos. Tudo depende do que você entrega, da forma como você trabalha a sua imagem pessoal, e do poder de convencimento que você tem sobre seus potenciais clientes.

Basta pensar que existem profissionais que conseguem cobrar um valor expressivo sobre um serviço, enquanto outros trabalham por pagamentos mais modestos.

Recentemente, a designer de sobrancelhas Natalia Beauty viralizou ao afirmar que cobra R$8.000 por hora de seu atendimento. Você pagaria R$8.000 para ter as sobrancelhas desenhadas por ela? Saiba que existem tantos clientes em sua clínica que a fila de espera pode levar mais de um ano, mesmo com esse valor!

Ou seja, nessa última técnica de quanto cobrar freelancer, você mesmo pode definir o preço que quer receber.

Mulher jovem, com cabelo castanho e óculos de grau. Ela olha para a câmera com expressão de provocação. Em uma mão, ela segura uma caneta. Há um laptop em sua frente.

É claro que seus potenciais clientes podem não perceber o valor agregado e acabarem por procurar outro profissional. Nesse caso, é questão de ir ajustando os valores até que você se sinta confortável e tenha demanda.

Afinal, quanto cobrar como freelancer?

Como você viu, não existe uma resposta única e definitiva para essa questão. Quando falamos em quanto cobrar freelancer, você, como freelancer, é que precisa definir.

Utilize uma ou mais técnicas apresentadas anteriormente para identificar o preço ideal.

Além disso, tenha em mente que o preço cobrado hoje não precisa perdurar por toda a sua vida. Reajustes são importantes, e podem acontecer sempre que você perceber que o seu preço não está compensando as horas de trabalho.

Mais do que saber quanto cobrar como freelancer, esteja atento para as oportunidades de se especializar e, consequentemente, ganhar mais!

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /guiadofreela_

Obrigada e até a próxima!

Leia também: Freelancer pode trabalhar todos os dias? Tem direito a intervalo?

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados
Homem com semblante preocupado enquanto olha para a tela do notebook. Com uma mão ele segura o mouse, e com a outra apoia a cabeça. Ele está sentado em uma cadeira, em frente a uma mesa. Ao fundo, uma sala de estar.
Carreira freela
Não consigo freelas, e agora?

Você preparou seu portfólio, se cadastrou em sites freelancers e, ainda assim, está dizendo “não consigo freelas”? Calma, tem solução!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *