Guia do Freela

5 dicas para montar um portfólio e ter mais oportunidades de trabalho

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Uma das principais ferramentas para atrair clientes de projetos freela é o portfólio. São várias as áreas que utilizam esse recurso, e para ter mais oportunidades, é bom seguir algumas boas práticas para montar um portfólio de qualidade!

Felizmente, hoje já é possível encontrar uma série de exemplos de portfólio profissional, que dão uma boa inspiração para quem está começando.

Mas, se você não quer errar ao montar um portfólio, a chave para o sucesso é seguir dicas práticas de quem já tem experiência no assunto! Nesse sentido, nós reunimos as melhores dicas para você!

Confira tudo, a seguir!

Portfólio: o que é e para que serve?

Antes de falarmos sobre dicas para montar um portfólio, é interessante saber que você está “na mesma página” que a gente. Assim, vamos estabelecer o que é um portfólio!

Portfólio é uma ferramenta utilizada em diferentes áreas profissionais e acadêmicas. Ele serve para apresentar os trabalhos realizados por alguém, para que potenciais clientes ou interessados tenham uma visão sobre as habilidades de quem está apresentando.

Ou seja, é basicamente um espaço (que pode ser online ou físico) para guardar e apresentar amostras do que você faz.

Mesa de trabalho com notebook e computador de mesa. Há amostras de imagens e um tablet com outras imagens na tela.

A título de curiosidade, se você busca por “portfólio significado”, vai encontrar como resposta “conjunto ou coleção do que está ou pode ser guardado”.

Essa palavra deriva do italiano portafoglio, que hoje é usada para descrever a carteira de dinheiro, mas antigamente significava uma pasta para guardar folhas soltas. Até que faz sentido, né?

5 dicas para montar um portfólio de qualidade

Com isso esclarecido, vamos falar de dicas para montar um portfólio de qualidade? Seja um portfólio acadêmico ou portfólio empresarial, essas orientações básicas são válidas para todo mundo!

Para quem é freelancer, essas dicas são ainda mais relevantes. Afinal, muitos dos seus projetos e de quanto você vai cobrar por eles serão diretamente impactados pelo seu portfólio.

1. Identifique para quem você quer vender

Antes mesmo de pensar em estruturar o seu portfólio online, em algum site específico, você precisa identificar qual é o público que você quer atingir.

Essa parte é importante porque, sabendo o seu público, você consegue selecionar com mais facilidade quais são os projetos que vão impressionar potenciais clientes desse nicho.

Por exemplo, se você está montando um portfólio arquitetura e você identificou que quer trabalhar com o público de projetos residenciais, não precisa selecionar projetos comerciais ou industriais para apresentar.

Em outras palavras, quando você tem um público bem definido, consegue ser mais preciso na hora de selecionar os projetos que você já fez e quer apresentar. Tudo aqui é sobre ser intencional!

2. Selecione seus melhores projetos

Com o público-alvo em mente, é hora de selecionar os seus melhores projetos para apresentar!

Nesse sentido, você deve pensar em qualidade ao invés de quantidade. Por mais que pareça que muitos projetos demonstram experiência, o excesso pode fazer com que um potencial cliente nem queira ver tudo – ou pior: perceba projetos não tão bacanas na sua apresentação!

Assim, ao montar um portfólio de projetos de qualidade, lembre-se de fazer uma boa seleção do que você vai apresentar.

Ou seja, nesta segunda etapa você terá dois filtros bem claros: Esses projetos são interessantes para meu público-alvo? E eles têm qualidade o suficiente para aparecerem no meu portfólio?

Mas atenção: cuidado com a autocrítica! Quando falamos em qualidade, é muito normal que a gente comece a achar todos os nossos projetos ruins e isso é somente a voz da auto sabotagem.

Aprender a como diminuir esse julgamento interno é essencial para conseguir ter clareza nos itens que você vai apresentar no seu portfólio.

3. Escolha uma plataforma para expor seus projetos

Depois de selecionar seus projetos, é hora de encontrar um espaço para disponibilizá-los.

Nesse sentido, existem várias maneiras de expor seu portfólio. Exemplo: você pode tanto ter uma pasta física, com projetos impressos, quanto um perfil em redes específicas de apresentação de projetos.

Computador e tablet mostrando uma seleção de imagens na tela. Estão em cima de uma mesa de escritório.

Não há um modelo certo ou errado. Tudo depende do seu público-alvo e até do seu nicho de atuação.

Um portfólio design, por exemplo, pode ser facilmente encontrado em sites como o Behance. O Github é especialmente focado na área de programação.

Por outro lado, redatores podem buscar por portfólio pronto para editar Word e enviá-lo por e-mail. Há também quem crie páginas em redes sociais, sites próprios ou pastas no Google Drive para reunir seus trabalhos (entretanto, a pasta no Google Drive não é sempre recomendada – explicamos melhor a seguir).

Pense sempre no que vai ser mais prático e funcional para você e para o seu potencial cliente.

4. Faça descrições para cada item do portfólio

De fato, um portfólio serve para mostrar os resultados que você obteve com o desenvolvimento do seu projeto. Porém, muita gente gosta de saber entender COMO você chegou nesse resultado.

Por isso, uma dica essencial sobre montar um portfólio é dedicar algum tempo para fazer descrições sobre cada projeto.

Na prática, o que você precisa fazer é descrever o projeto realizado: quais foram os desafios, as soluções encontradas, como foi o desenvolvimento, enfim.

Quer um exemplo? A empresa desenvolvera de sites Pixel Perfect fez um artigo sobre o novo site de uma cliente, a Emilim Schmitz. Nele, você pode ver os principais pontos do projeto, como foi a criação e outras informações pertinentes. E aqui também temos um exemplo de que um portfólio de empresa.

Além disso, escrever sobre o projeto ajuda a atrair mais potenciais clientes – especialmente se você trabalhar com o uso de palavras-chave e técnicas de boa legibilidade.

Esse assunto é tão importante que tem até vídeo por aqui: fala sobre como usar palavras-chave no seu portfólio e atrair mais visitantes.

E lembra que falamos sobre o Google Drive não ser sempre recomendável para portfólio? É que pastas do Google Drive não são indexadas nas buscas gerais do Google.

Ou seja, suas descrições com o uso correto de palavras-chave jamais serão encontradas por potenciais clientes, que fazem pesquisas no Google, se elas estiverem somente dentro do Drive.

Além disso, considere fazer um portfólio em inglês ou em outro idioma, caso você tenha interesse em trabalhar com pessoas e empresas do exterior.

5. Renove seu portfólio

Montar um portfólio não é uma ação que um freelancer vai fazer somente uma vez na vida. Na verdade, é preciso manter a rotina de atualizar e renovar o seu portfólio sempre que necessário.

Na rotina do dia a dia, é muito comum que a gente deixe de fazer essas atualizações. Entretanto, uma boa maneira de evitar que isso aconteça, é estabelecer uma data específica do mês (ou a cada 3 meses) para renovar sua página.

Nesse sentido, dê uma olhada no que pode entrar e no que pode sair do seu portfólio. Muitas vezes, um trabalho deixou de ser interessante, ou você não presta mais o serviço, ou ainda, você evoluiu na técnica e tem coisas melhores para expor.

Esse exercício também é bacana porque te mostra o quanto você melhorou e trabalhou nos últimos meses. É como renovar a sua autoestima enquanto renova seu portfólio.

Não tenho nada para apresentar, e agora?

Com essas dicas, você já tem uma ótima base de como montar um portfólio de qualidade. Mas o que acontece com quem está começando e ainda não tem nada para colocar no portfólio?

Isso ocorre com muito mais frequência do que você pode imaginar! E se esse for o seu caso, existem dois caminhos possíveis.

O primeiro é resgatar todos os projetos que você fez ao longo da sua vida escolar. Pode ser que você tenha feito um curso ou uma faculdade que resultaram em materiais que podem ser exibidos no seu portfólio.

Mulher usando um laptop.

O segundo caminho, ideal para quem não tem materiais vindos de cursos e afins, é desenvolver projetos fictícios. Na prática, você vai escolher um tema ou uma empresa e criar algo apenas para treinar suas habilidades e montar um portfólio.

Um exemplo: se você quer ser designer gráfico e não tem nada para o portfólio, pode pensar em uma arte para uma marca que você gosta. Vale até desenvolver algo para negócios locais e, posteriormente, oferecer para os donos dessas empresas.

Portfólio no ar!

A verdade é que montar um portfólio de qualidade não é algo complexo – mas exige tempo e dedicação.

Por isso, a dica é reservar algumas horas de um dia para focar em montar o seu portfólio. Reúna seus melhores trabalhos, considere seu público-alvo, escolha uma plataforma e capriche nas descrições!

Com isso feito, já deixa anotado um lembrete na agenda com uma data de quando você vai atualizar o seu portfólio. Assim, você garante a melhor representação do que você faz, para aumentar as oportunidades de trabalho.

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /guiadofreela_

Obrigada e até a próxima!

Leia também: Sua habilidade é uma profissão: quais trabalhos freelas você pode fazer?

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Picture of Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *