Guia do Freela

3 coisas que odeio em ser freela

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Qualquer trabalho que você faça terá pontos positivos e negativos. Mesmo que você trabalhe por conta própria, sempre existirão coisas que te farão dizer: “odeio ser freela”! 😪

Eu sou a Bruna, freelancer há mais de 4 anos, e por mais que eu ame esse estilo de vida, existem algumas coisas não tão legais na carreira autônoma.

Por isso mesmo, resolvi listar neste artigo as 3 coisas que odeio em ser freela. A ideia não é te desmotivar em optar por esse tipo de carreira, mas te preparar para o que você poderá encontrar. 🤗

Entretanto, como eu sou uma pessoa bastante otimista, vou trazer também como esses pontos negativos podem ser positivos em outros sentidos.

Todo esse conteúdo ganhou um vídeo no YouTube, que você confere abaixo 👇. Mas, se preferir, pode continuar a leitura. Preparado?

1. Instabilidade na rotina

Para muita gente, uma das piores partes em ser autônomo é a instabilidade financeira. Para mim, uma das coisas que odeio em ser freela é a instabilidade na rotina.

Mas calma, vou explicar! 😅

Quando você trabalha como freelancer, a sua programação diária pode variar muito. Assim, por mais que eu tenha uma planilha de rotina, meu planejamento nem sempre funciona.

Essa “quebra” na rotina acontece por diferentes motivos. Mas, os mais comuns são: quando eu recebo um trabalho extra, que não estava na agenda; ou quando um cliente envia um pedido de alteração na entrega.

Nesses casos, parece que faltam horas no meu dia e eu preciso me esforçar para fazer algumas atividades simples, como estudar inglês.

Da mesma forma, existem dias que são o maior sossego. Poucas tarefas, coisas que eu termino em algumas horas. Dá até de sentir “culpa” por estar de folga ao invés de trabalhar.

No geral, isso é algo que eu não gosto. Mas essa mesma instabilidade vem com coisas boas: graças à ela, tenho a possibilidade de sair a qualquer hora, para fazer o que eu quiser.

Em um passeio recente, em Laguna – SC

2. Cuidar da administração do negócio

A segunda coisa que eu odeio em ser freela é ter que dedicar meu tempo à parte administrativa do meu negócio 😓.

No e-book “Como começar um negócio freelance”, eu recomendo que o freelancer se enxergue como uma empresa. Por mais que seja uma empresa de uma pessoa só, é preciso cumprir com algumas obrigações – e isso inclui a parte administrativa.

Assim, existem atividades que empresas fazem que você, como freela, também vai precisar fazer. Cuidar do dinheiro que entra, fazer a emissão de notas fiscais, comprar algum software ou material de trabalho, tudo isso faz parte da administração do seu negócio.

Por mais que seja possível terceirizar essa parte, contratando um freelancer, neste momento sou eu quem cuida do administrativo.

O lado positivo de cuidar da administração da sua empresa é… bom, acho que não tem 👀.

Mentira!

O lado positivo de cuidar da administração da sua empresa é que você consegue acompanhar mais de perto como o negócio está se saindo.

E é muito importante que o freelancer tenha um ótimo controle das suas finanças. Quanto mais controle você tiver, melhor você vai conseguir lidar com as altas e baixas que a profissão de freela pode trazer.

Bruna trabalhando

3. Clientes inconvenientes

Por fim, a terceira coisa que odeio em ser freelancer é lidar com cliente inconveniente 🙄.

E o que faz de um cliente ser inconveniente? Basicamente, é quando o contratante pensa que, ao invés de contratar um freela, está contratando um profissional CLT.

Nesse sentido, esse cliente inconveniente quer que você esteja disponível a qualquer hora, que responda as coisas com extrema rapidez, que participe de reuniões frequentes, que faça coisas que não são tão da sua área ou conhecimento sem cobrar nada.

Mais do que isso: tem cliente inconveniente que te liga ou te manda mensagem depois do horário comercial.

Pessoas que querem colocar preço no que você faz e acham que tudo bem falar que tá muito caro o quanto você estipulou. Ou gente que quer um desconto tão grande que se torna inviável trabalhar e ter lucro no projeto.

Lidar com esse tipo de cliente é sempre complexo. Não é por acaso que, aqui no Guia do Freela, tenho um artigo sobre como contratar um freelancer que inclui dicas de “relacionamento”. A ideia é justamente mostrar qual é um bom comportamento nessa relação Cliente x Freela.

Como lado positivo, lidar com clientes inconvenientes ajuda a desenvolver habilidades interpessoais e de negociação. Além disso, com o tempo, você consegue selecionar melhor os contratantes 🤗.

Bruna Guia do Freela

Mas eu odeio ser freela?

Depois de tudo isso, vale o lembrete: eu realmente amo o que eu faço, mas desafios sempre existem.

Eu acho bem importante quem é de uma área expor os pontos “negativos”, porque eles também fazem parte do nosso dia a dia.

Novamente, a minha intenção não é desmotivar quem quer ser freela. Mas, sabendo desses aspectos, você pode ser preparar melhor para lidar com algumas situações.

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /guiadofreela_

Linkedin: /brunamarzarotto

Obrigada e até a próxima!

Leia também: Coisas que não te contam sobre ser freelancer

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Picture of Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *