Guia do Freela

FAQ Freela: 6 perguntas sobre trabalho freelancer

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado

Índice

Posts Populares
Quer começar sua carreira Freelance?

Clique no botão abaixo e receba um checklist com o passo a passo para iniciar!

Para quem está “de fora”, o trabalho freelancer, por vezes, é um grande mistério. E é para desmistificar esse assunto que temos o FAQ Freela! 🤗

O FAQ Freela é um quadro especial que começou no YouTube, Ele serve para responder principais dúvidas das pessoas em relação ao trabalho freelancer.

Você pode conferir o último FAQ Freela pelo vídeo logo abaixo 👇, ou ao longo desse post, porque eu trouxe todas as informações para cá também!

Por isso, se você tem dúvidas sobre como conseguir clientes, como fazer um portfólio de redação ou como organizar as demandas, fica comigo que tem
resposta para tudo isso!

Como conseguir clientes fora das plataformas freelancer?

Primeiramente, para começar esse FAQ Freela temos a pergunta do Júnior:

Pergunta trabalho freelancer

As plataformas de trabalho freelancer são ótimas formas de conseguir clientes. Porém, é possível ter clientes fora desses sites também.

E existem algumas dicas práticas que você pode seguir! 😉

A primeira delas é entrar em grupos do Facebook que tenham a ver com a sua área de trabalho. Um programador, por exemplo, pode entrar em grupos que divulgam vagas no ramo.

A segunda dica é preparar um portfólio. Inclusive, aqui no Guia do Freela, tem um post completo sobre como montar um bom portfólio.

Para o portfólio, você pode criar uma conta em uma rede social ou fazer uma conta em sites específicos para determinadas áreas. Por exemplo, temos o Behance para o design, o Github para programação.

Conforme você for montando o seu portfólio, lembre-se de caprichar nas descrições dos projetos, usando palavras chaves que costumam aparecer nas buscas orgânicas do Google.

Para identificar esses termos, é só observar o que aparece quando você começar a digitar no Google uma palavra.

Esse “auto-complete” representa as buscas mais frequentes sobre um tema e são boas ideias de palavras-chave para você usar.

E uma terceira dica é ficar sempre atendo às oportunidades de trabalho freelancer 👀

Muita vezes, ao assistir um vídeo no YouTube ou um story no Instagram, você pode perceber que a pessoa precisa de apoio em algo que você sabe fazer.

Nesse caso, não tenha vergonha! Mande uma mensagem, ofereça seu trabalho, pois você pode ter um bom resultado dessa forma.

Como começar se não tenho portfólio?

A Amanda deixou comentário:

Pergunta sobre portfólio

É muito comum que a gente relacione portfólio com trabalhos “reais”, ou seja, trabalhos que o cliente pagou para o freelancer fazer.

Entretanto, se um freela não tem experiência, acaba sem saber o que mostrar – já que nunca desenvolveu nada.

Mas nada impede que você crie um portfólio de trabalhos “fictícios” 😀

Na redação, por exemplo, você pode selecionar cinco temas diferentes e escrever artigos de até 700 palavras. Isso porque, normalmente, essa é a média de palavras que os clientes pedem em artigos.

Ainda nesse exemplo, busque desenvolver artigos de formatos diferentes. Assim, você pode criar um artigo em forma de ranking, um segundo mais explicativo, outro com dicas práticas, enfim.

Então, com esses artigos aleatórios, você já terá um portfólio para mostrar. 🤗

Sobre a ideia do blog, essa uma ótima forma de divulgar o seu trabalho na internet.

O blog é bacana porque é um espaço totalmente seu, que você pode fazer gratuitamente usando o domínio de outras plataformas.

Uma estratégia que pode te ajudar a chamar atenção para o seu blog é usar palavras-chaves nos posts que tenham a ver com produção de conteúdo.

E uma dica extra: comece a usar ativamente o Linkedin, tanto para divulgar esses seus textos “de portfólio”, quanto para compartilhar suas ideias do dia a dia.

No meu LinkedIn, eu costumo publicar relatos na minha rotina. E, com alguma frequência, recebo propostas de clientes para criação conteúdo.

Ou seja, quem trabalha com produção de conteúdo tá bem de olho no Linkedin 😉

Sobre organização de freelas, conteúdos, demandas, clientes

E a Amanda enviou também:

Pergunta sobre trabalho freelancer

De fato, quem trabalha como freela precisa ter uma boa organização para não se perder no meio dos compromissos 🥴

Porém, a organização é diferente para cada freela. A pessoa precisa encontrar a metodologia que mais funciona para as suas necessidades, para o seu estilo.

Tem gente que gosta mais de usar a velha agenda escrita.

Nessa agenda ou caderno, a ideia é anotar tudo que é preciso fazer diariamente.

E saiba que anotar e riscar compromissos da agenda faz com que seu cérebro tenha uma sensação positiva, de estar concluindo algo.

Além da agenda ou do caderno, muita gente usa o Google Agenda para se organizar, que é um método totalmente digital e que todos têm acesso.

Se o Google Agenda não for uma boa ideia, você pode tentar testar o Notion ou o Todoist para organizar projeto.

A verdade é tem muita opção! O ideal ´é testar até encontrar uma alternativa interessante para você.

É bom trabalhar com arte dentro das plataformas freelancer, especialmente para iniciantes?

Pocket arte mandou a seguinte mensagem:

Trabalho freelancer de arte

Trabalhar com Arte dentro de plataformas freela é uma ótima opção 🤗

Primeiramente, dentro de uma plataforma freela você vai conseguir alcançar mais clientes. Pessoas que, muitas vezes, só no seu círculo de contatos ou na sua cidade, você não teria acesso.

Um segundo motivo para usar plataformas freela, é que o nicho de arte já é bem antigo no mercado freelancer.

Ou seja, as empresas estão acostumados a contratar profissionais autônomos para este tipo de projeto, o que facilita.

Quanto mais adaptado é o mercado para uma área específica, melhor.

Porém, ao usar esses sites, tenha em mente que há um período de adaptação e de testes de estratégias.

Você vai precisar testar se sua carta de apresentação está boa, se o seu portfólio está adequado e se você consegue mostrar o valor do seu trabalho para um cliente.

Para o trabalho é artístico, uma dica é deixar uma pastinha no computador organizada só com imagens de portfólio, para você anexar nas propostas.

Isso porque, se você já tem uma pastinha organizada com portfólio, localizar quais são as opções exemplos de trabalho que você pode enviar para cada cliente fica muito mais fácil.

É possível ser designer usando somente o Canva? O que fazer quando falta a criatividade?

A próxima pergunta é:

Pergunta faq freela

Sim, é possível trabalhar como designer freelancer usando somente o Canva.

Na verdade, eu tenho visto muitas vagas em plataformas freela que pedem que o designer desenvolva a arte dentro do Canva.

E o motivo é bem simples: como o Canva é uma plataforma online, se depois o cliente quiser fazer uma edição sozinho, é muito simples.

Bem mais fácil do que quando ele recebe um arquivo de programa específico da área, como o Illustrator, Photoshop, enfim. Então, para o cliente fica muito mais prático.

Sobre a segunda pergunta, não é recomendável usar mesma arte para dois clientes diferentes.

Imagina se um cliente acaba vendo a mesma arte que você fez para ele na conta no Instagram, no site, de outra empresa.

Isso é passível de Processo Jurídico por direitos autorais 😢

Esse primeiro cliente, não sabendo que foi o mesmo designer que fez duas artes, pode achar que o segundo cliente roubou a ideia dele e acabar em processo.

E até você explicar que você estava sem ideia, precisou repetir o design…
Dá muito trabalho e não vale a pena 🤯

O segredo para não precisar repetir ideias é ter a mente abastecida de referências.

Sites como Pinterest, Behance, Instagram são alguns que ajudam a criar esse “banco”.

E às vezes, se a ideia realmente não sair em um momento, dê um tempo, saia um pouco do computador, caminhe na rua.

Ter a mente cansada é um péssimo negócio para a criatividade.

E o medo de não atingir as expectativas dos clientes?

E para fechar, tem uma pergunta do Instagram para responder aqui:

Pergunta sobre medo

Não importa se você começou agora ou está há anos no mercado: a maioria das pessoas se sentem inseguras ao entregar um projeto.

Sentir que a ideia não está à altura das expectativas, que o cliente não vai gostar, que não vai ser aprovado são algumas sensações bem comuns.

Porém, se você entendeu bem o briefing, ao enviar o projeto para o cliente, as chances de aprovação são grandes. Ou seja, era só preocupação à toa.

Sentir que não é bom suficiente é algo comum. Neste vídeo, que fala sobre a síndrome do impostor, explica esse sentimento.

Nesses casos, mesmo que você tenha capacidade e qualificação, ainda sente que não tem a qualidade necessária para assumir um projeto.

E a verdade é que essa sensação não passa, a gente só aprende a lidar com o tempo.

Mas existem algumas dicas úteis! 😊

Quando você sentir que está inseguro, tente relembrar alguns projetos que fez antes e que gostou muito do resultado.

Vale também rever os feedbacks que os clientes mandaram.

Isso ajuda a melhorar autoestima com o trabalho, para ter mais motivação e continuar – mesmo com a insegurança.

O receio de não atingir as expectativas é normal, ele só não pode te paralisar e te impedir de trabalhar.

Vem me acompanhar nas redes sociais:

Canal no YouTube: /BrunaMarzarotto

Instagram: /bmarzarotto

Linkedin: /brunamarzarotto

Obrigada e até a próxima!

Leia também: 5 dicas para montar seu home office

Quer descobrir como ganhar dinheiro pela internet?
Baixe agora o E-book 100% Gratuito que revela 03 passos fáceis e comprovados para começar a vender como afiliado
Picture of Bruna Marzarotto
Bruna Marzarotto
Designer e redatora freelancer, apaixonada por viajar. Compartilho as delícias (e umas poucas dores) de trabalhar como freelancer e o que você pode fazer para ter esse estilo de vida.
Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *